Home » Castores – Alimentação, História, Reprodução, Raças, Vacinas e Saúde

Castores – Alimentação, História, Reprodução, Raças, Vacinas e Saúde

HISTÓRIA

castor1Seu nome científico é Castor fiber da ordem dos Rodentia (Roedores) e da família Castoridae. A toca do castor é uma verdadeira obra de engenharia. Na verdade, além de “engenheiro”, o castor reúne também habilidades de“madeireiro” e “carpinteiro”. Seu talento revela-se desde o momento em que ele abate as árvores, para usar os troncos. De pé, apoiado nas patas posteriores, ele vai roendo o tronco até que a junção entre as partes superior e inferior fique tão fina que, com um leve toque de cabeça, o tronco caia no chão.

A dieta do castor é a base de folhas, ramos e cascas de salgueiros, choupos e amieiros. No verão, come também certas plantas herbáceas e vários tipos de cardo.

Crânio do castor visto de perfil: os poderosos incisivos estão separados da parte usada para mastigar por um espaço sem dentes chamado diastema; esse espaço é comum em vários outros mamíferos.

O castor pode construir dois tipos de abrigo: uma toca nas margens dos rios, ou uma “casa” no meio da águas.Para prevenir inundações e se proteger dos perigos externos, o castor ergue verdadeiras barragens com madeira, lodo, pedras e plantas aquáticas. Freqüentemente, esses diques formam grandes represas. As casas são usadas durante anos, pois os reparos necessários são feitos na primavera (pelas fêmeas) e no outubro (por toda a comunidade, incluindo os filhotes).

CARACTERÍSTICAS

castor2

As patas posteriores têm membranas nadatórios, o que facilita ao animal a vida nas águas.

A cauda achatada e com pouquíssimos pêlos funciona como remo e leme; os orifícios auditivos e nasais fecham-se quando o animal mergulha; tudo isso, além das membranas natatórias nas patas posteriores, torna o castor um bicho apto para a vida aquática.

O castor mantém o pêlo sempre limpo, penteando-o com as unhas das patas posteriores. Por causa do pêlo, farto e macio, o castor foi intensamente caçado. Para salvá-lo do extermínio, o governo dos Estados Unidos e do Canadá criaram rigorosas leis de proteção.

O filhote de castor já nasce completamente coberto de pêlos e enxerga muito bem. Permanece com a família até os 2 anos de idade. Depois procura uma companheira, e constitui sua própria família. Os castores vivem em pequenos grupos formados pelo casal e pelos filhotes ou em colônias que agregam diversas famílias. É a fêmea adulta que lidera o grupo, exceto na época do acasalamento (janeiro e fevereiro), quando o macho domina.

Apesar de ser um dos grandes roedores (chega a medir 1,20 metros e a pesar 30 kg), o castor é um bicho inofensivo. A cauda muito útil na água, atrapalha sua locomoção em terra. Assim, diante do lobo, seu principal inimigo, só escapará se estiver perto da água e conseguir mergulhar imediatamente.O castor-europeu é um dos maiores roedores. Em terra firme é desajeitado, mas na água revela-se um ágil nadador.

Distribuição geográfica

No passado, o castor era encontrado em quase toda a Europa, a leste dos Pirineus, na Ásia central e setentrional. Hoje está presente apenas nas regiões onde é protegido: curso inferior do rio Rhône (França), ao longo do rio Elba (Alemanha), na Escandinávia, Polônia e Rússia.

Habitat: Bosques de planície, às margens de rios e lagos.

Medidas de proteção

Intensamente caçado por causa do valor comercial de seu belo pêlo, o castor é hoje raro. Em alguns países não existem mais que algumas centenas de exemplares. Recentemente tentou-se, com sucesso, reintroduzir o castor na Suiça, onde estava extinto desde 1.820. Reintroduzir o castor num ambiente natural é, aliás, a única forma de assegurar a sobrevivência da espécie, já que ela não se reproduz bem em cativeiro.

Em caso de perigo, a fêmea carrega o filhote para outra casa, segurando-o com os dentes e, se necessário, apoiando-o nas patas posteriores.

Páginas ou assuntos relacionados

E você? Gostou dessa página? Deixe seu comentário





ATENÇÃO, NÃO está sendo doado(a)!






  1. elaine 27/06/2018 às 00:21

    bom demais; mto obg

  2. adriano 15/07/2016 às 13:41

    muito legal e educativo

  3. NURIA URIOL ESTELA BATISTUCI 14/04/2016 às 22:06

    Muito bom

  4. NURIA URIOL ESTELA BATISTUCI 14/04/2016 às 10:54

    Carvalho

  5. julia 03/05/2014 às 14:38

    muito bom

© 2019 Pet Vale - www.petvale.com.br - Todos os direitos reservados