Home » O Banho do Gato

O Banho do Gato

Todo mundo já viu um gato se lamber. E com se lambem os danadinhos… Puro prazer? É bem provável, mas toda essa lambedura tem um motivo muito mais importante: a higiene do próprio animal. É o famoso banho de gato… E dessa maneira, lambendo-se o tempo todo, que gatos e gatinhas são considerados um dos animais domésticos mais limpos de nosso convívio.

Mas, infelizmente, toda essa “limpeza” tem um preço pois, no ato da lambedura, os felinos engolem, involuntariamente, uma quantidade muito grande pêlos. Esses pêlos, na maioria das vezes, podem irritar a mucosa do estômago (é comum presenciar gatos regurgitando, através de pequenos vômitos, para se livrarem do incômodo) ou se acumularem nos intestinos formando bolas de pêlos (conhecidas como fecalomas), obstruindo os intestinos e dificultando a saída de fezes que, em certos casos, se faz necessário uma intervenção cirúrgica. Mas a natureza, sábia como sempre, faz com esses adoráveis animais encontrem o seu próprio remédio. Você já viu gato comendo grama? A maioria já viu cachorros comerem grama, mas gato… Mas os felinos ingerem e gostam muito de “graminhas e matinhos” e por serem animais bastante discretos e independentes é difícil presenciar a hora que eles, literalmente, “pastam”… Porém, muitos donos de gatos já viram seus animais “atacarem” as plantas e flores do interior de suas residências (principalmente em apartamentos): violetas, samambaias, crisântemos e folhagens em geral…

Eaqui vai um alerta, cuidado com plantas ornamentais, muitas são comprovadamente tóxicas ao serem ingeridas. Segundo o Dr. Renato Faria Sanches, médico veterinário, é preciso ter cautela com as seguintes plantas, que são facilmente cultivadas em casas e jardins: comigo-ninguém-pode, costela-de-adão, dragão-fedorento, orelha-de-elefante, orelha-de-burro, pulmão-de-aço, espirradeira, mamona, azaléia, olho-de-cabra, filodendro, cipó-imbé, barra-de-macaco e muitas outras. Se você perceber que seu gato ou gatinha ingeriu alguma planta tóxica, leve-o imediatamente ao veterinário. Mas por quê que os gatos, então, precisam, comem e gostam de gramas e matinhos? Os felinos saem atrás de “graminhas” para providenciarem fibras vegetais, que irão regularizar o trato intestinal e auxiliar na eliminação dos bolos de pêlos acumulados em seus intestinos. Logo, de vez em quando, o seu gato ou a sua gatinha, dá uma escapada, sem você perceber, para poder comer e degustar alguns matinhos e graminhas… E aí está o perigo… Hoje em dia, em nossas grandes cidades, e nas pequenas também, aquela graminha do jardim, do quintal ou da praça pública, ou aquele matinho da calçada podem estar contaminados com agrotóxicos ou, simplesmente, pela poluição de escapamentos de carros e chaminés de indústrias…

E a ingestão desses “verdinhos” pode ser tóxica e, também, trazer vermes e parasitas ao seu animal… E, infelizmente, nessa hora, o instinto fala mais alta do que a esperteza do seu gatinho ou gatinha, eles precisam das fibras vegetais para auxiliarem na expulsão de seus “bolos de pêlos” e comem o verde sem perceberem que o verde, tão necessário, pode ser tóxico ou estar contaminado… Pergunte ao seu veterinário de confiança: quantos casos ocorrem de felinos com problemas digestivos… Mas a tecnologia aliada à natureza tudo pode, tudo providencia e tudo inventa e descobre… Há no mercado nacional um produto chamado Ervas Vivas, desenvolvido especialmente para que os felinos possam se abastecer de fibras vegetais, sem agrotóxicos e sem toxidez ao organismo.

É um potinho com tampa, dentro há sementes de aveia, sorgo, azevém e milheto misturadas em um substrato inerte (esterilizado a 1050°C). Basta abrir o potinho, colocar água e em 5 a 7 dias obter brotos verdes e nutritivos que gatos e gatinhas vão adorar… Sem nenhuma química, sem agrotóxicose sem contaminações, o produto é natural. Além de fibras vegetais, os brotos comestíveis são ricos em vitaminas, aminoácidos e oligoelementos (micronutrientes). No livro “Plantas Que Ajudam o Homem”, editora Pensamento, dos autores Dr. José Caribé e Dr. José Maria Campos há uma explicação muito interessante sobre brotos: “As sementes são verdadeiros acumuladores biológicos de energia solar e cósmica, sob a forma de energia nutritiva e alimentar.

No processo de germinação desencadeado pela água, pelo ar e pelo calor, entra em operação dentro de cada semente uma poderosa “usina” produtora de enzimas e de outras substâncias biologicamente ativas. Os elementos que nela já existiam são também liberados para participarem dessa fase inicial de crescimento da planta, tornando-se, então, mais facilmente assimiláveis. Assim, o processo de germinação aumenta o teor de vitaminas e faz com que os minerais e oligoelementos (micronutrientes) assumam uma forma mais adequada e aproveitável pelo desenvolvimento da planta recém-nascida. Além disso, libera a energia vital acumulada na semente, estimulando desse modo todos os processos biológicos de reprodução celular. Quando nos alimentamos de sementes germinadas( brotos), utilizamo-nos dessas reservas de energia cósmico-nutritiva, que nunca irão reaparecer em concentração semelhante na vida posterior de uma planta.

Aos poucos ela vai consumindo tais reservas e, quando suas primeiras folhas se desenvolvem o suficiente, passa a nutrir-se através delas e de suas raízes, incorporando assim uma outra qualidade de vida” Ou ainda: “Quando fornecemos a essa semente água, ar e calor na medida certa, tais elementos atuam sobre ela e o germe adormecido pode então despertar, para recomeçar o seu ciclo vegetal interrompido. A água, durante o período em que colocamos a semente de molho, penetra em seu interior através de um pequeno orifício chamado poro germinativo. Nessa fase de absorção, o volume da semente aumenta consideravelmente, sua casca começa a se rompere as substâncias que se encontram dentro dela, em estado de dormência, entram em intensa atividade. As enzimas armazenadas desencadeiam transformações químicas e o crescimento de pequena planta se inicia. A quantidade cada vez maior de energia que ele exige para a formação de substâncias, de novas células e de tecidos celulares é suprida através do uso das próprias reservas. A proteína armazenada é decomposta em seus aminoácidos, criando-se outros não existentes. Muitas vitaminas são formadas, principalmente as do complexo B e C, solúveis em água e as vitaminas D e E.

As gorduras são transformadas em substâncias oleosas solúveis e o amido em açúcares mais simples. Com a intensificação das atividades biológicas, a concentração de vitaminas e minerais aumenta e os oligoelementos (cálcio, fósforo, magnésio, potássio, ferro, cloro, flúor, molibdênio, zinco, alumínio, silício, enxofre, sódio, cobalto, cobre) tornam-se mais facilmente assimiláveis. A partir dessa fase, acentua-se o desenvolvimento das primeiras folhas, bem como a formação de raízes; aos poucos o suprimento energético e nutritivo é assumido por elas, consumindo-se finalmente as próprias reservas energéticas acumuladas na semente. Assim os brotos de uma maneira geral não deveriam ser utilizados após a fase em que as primeiras folhinhas atingem o pleno desenvolvimento, pois a partir daí começa a atuar outra qualidade de energia”. Portanto, o seu gato ou a sua gatinha merece um tratamento mais natural, graminha neles…

Autoria
Laudo J. L. Bernardes
Diretor de Operações da PetPira Produtos Para Animais Ltda.

Páginas ou assuntos relacionados

E você? Gostou dessa página? Deixe seu comentário





ATENÇÃO, NÃO está sendo doado(a)!






© 2017 Pet Vale - www.petvale.com.br - Todos os direitos reservados