Home » Alimentação para Gatos e Cães

Alimentação para Gatos e Cães

Por que o gato não pode comer o mesmo alimento que um cão???? Às vezes quando se tem um gato e um cão na mesma casa, parece mais prático alimentarmos as duas espécies da mesma maneira, porém isto não é aconselhável. Você sabe por quê???

Porque um alimento para cães não é aconselhável para gatos:
O gato é um carnívoro mais estrito que o cão: sua necessidade em proteína em quantidade e qualidade é maior.

Comparação da necessidade protéica mínima do cão e do gato (normas da AAFCO 1995*)
Cão adulto – 16,5% – Filhote e fêmea reprodutora – 20%
Gato adulto – 24% – Filhote e fêmea reprodutora – 28%

*necessidades expressas em porcentagem de um alimento seco com 8% de umidade de 3200 Kcal/kg para cães,
e 3700 Kcal/kg para gatos.

Além dessa grande exigência em proteínas, os gatos necessitam receber um acréscimo em TAURINA, um aminoácido. Uma carência prolongada em taurina favorece o aparecimento de cegueira e problemas cardíacos. A suplementação de taurina não é necessária para os cães.

Os gatos tem uma capacidade mais limitada que os cães para se adaptarem à uma alimentação rica em amido.
Um excesso de glicídios na alimentação pode causar problemas digestivos. A utilização de cereais deve ser limitada em um alimento para gatos, mais do que para cães. Sabendo-se que eles digerem muito bem as gorduras, são estas as melhores fontes de energia: um alimento para gatos contém em geral, um teor de gorduras mais elevado que os alimentos para cães. (mínimo AAFCO aconselhado para manutenção: 9% ao contrário de 5% para cães). Os gatos tem necessidades especiais por alguns ácidos-graxos de origem animal, em particular o ácido araquidônico.

Eles são incapazes, ao contrário dos cães, de sintetiza-lo a partir de outros ácidos graxos. Os ingredientes de origem animal em geral e o ovo em particular são ricos em ácido araquidônico. A necessidade em vitaminas do complexo B (tiamina, riboflavina, piridoxina…) são bem superiores nos gatos que nos cães.
Essa necessidade elevada está ligada ao intenso metabolismo protéico nos gatos.

Um alimento para gatos pode ser oferecido para cães?
Nesse outro sentido, o problema não é tão grave. Eventualmente é possível alimentar um cão pequeno e um gato juntos. No entanto, isto pode parecer um “absurdo econômico” uma vez que os alimentos para gatos contém grandes quantidades de proteína de origem animal, aminoácidos, controles de pH para evitar cálculos urinários, e estas fórmulas possuem um custo mais elevado em comparação com alimentos para cães.

Atenção no entanto à densidade energética do alimento para gatos, que em geral é mais elevada que nos alimentos para cães. Um teor de gordura muito elevado é contra-indicado para cães com tendência a desenvolver problemas de pele e obesidade.

Ainda é necessário lembrar que os alimentos para gatos são acidificados, alcalinizados ou neutros dependendo da raça, idade e estado fisiológico do gato, para evitar as formações de cálculos: nos cães em crescimento o pH acidificado pode perturbar a mineralização óssea.

Conclusões
O consumo acidental, por um gato, de um alimento para cães, não apresenta problemas.

Por outro lado, é perigoso oferecer para gatos, um alimento para cães de forma contínua; ela predispõe a médio prazo, a déficits responsáveis por vários problemas:

Carência em proteína: perda de massa muscular e queda de imunidade do animal;
Carência em taurina: dependendo da fase de vida poderá causar atraso no desenvolvimento mental do filhote, problemas cardíacos, de audição e visão.
Carência em ácidos-graxos: problemas de crescimento e reprodução…

Um cão pode consumir ocasionalmente um alimento para gatos ou para filhotes, sem que isto lhe cause grandes problemas. Mas mesmo assim cada cão tem uma necessidade particular, de acordo com seu estado fisiológico e fase de vida.

Páginas ou assuntos relacionados

E você? Gostou dessa página? Deixe seu comentário





ATENÇÃO, NÃO está sendo doado(a)!






© 2018 Pet Vale - www.petvale.com.br - Todos os direitos reservados